Eles envelheceram e estão doentes, e agora??

Me fiz essa pergunta em 2012, quando eu entrei com minha mãe no hospital com encefalite viral e sai sendo mãe dela literalmente. Sem falar em ter em casa um pai cardíaco e com sintomas iniciais de Alzheimer.
A vida da gente muda muito, diariamente sentimos incertezas e treinamos nossa paciência e tolerância. Tudo é muito incerto, você não tem a mesma privacidade de antes, muito menos a liberdade pela qual tanto lutamos.
Vivemos o mundo deles, a rotina deles, velamos o sono deles, alimentamos suas necessidades e amamos com se fossem filhos.
Mas apesar de toda as mudanças no final é tudo muito gratificante por que há uma grande diferença entre cuidar com/por amor e por obrigação, felizmente nós optamos pelo amor acima de tudo. Ficamos felizes com o bem estar deles, e cada dia temos uma missão diferente, uma árdua missão.
Sou Conceição, filha da Irene e do Pedro, irmã de uma guerreira chamada Patricia e vim usar esse blog para contar um pouco da minha historia, as nossas lutas e as nossas vitórias, como cuidar, à quem recorrer, nossos direitos constitucionais, cuidados especias para que assim possamos ajudar os que estão começando agora, que esses saibam e sintam que não estão sozinhos, nem nunca estarão.